30 de Maio de 2012Depoimentos Sem comentários
Versão para Impressão

Eu, Virgínia, junto com minha família, conheci e todos fomos amigos de Frei Cosme. Isso, mais de 50 anos atrás.

Ele, apesar do jeito meio rude de alemão, que era a sua nacionalidade, tinha bons gestos de bondade.

Frei Cosme também era muito zeloso nos modos e atenções das pessoas com os padres da paróquia. Quando alguns paroquianos falavam de algum padre chato que passava pelo Valongo, Frei Cosme nos dizia que em vez de ficar falando, era para se rezar por eles.

Uma cozinheira do Valongo, minha amiga, me contava que na alimentação de Frei Cosme não podiam faltar ovos. Gostava muito de tomar gemadas e sempre recomendava às cozinheiras para que não deixassem faltar ovos.

Morávamos numa humilde casinha num sítio do Saboó e o Frei do Valongo sempre que tinha uma folga na igreja, fazia sua visita à casa de minha mãe, Dona Augusta, para tomar café conosco. Era uma alegria recebê-lo.

Ele aconselhava meu irmão mais velho, Antônio: “Você precisa casar e tomar juízo.” Mas, até hoje ele continua solteirão. Era o jeito dele, aconselhando a todos nós, dedicando-nos gestos de carinho a cada um. Ele dizia à minha mãe que tínhamos nomes bonitos: Antônio, Vicente, Francisco, Virgínia e Silvina.

Meu pai ficou doente, de cama, durante 7 anos e o Frei sempre esteve presente conosco. Em 1955 meu pai faleceu, mas ele continuou a nos visitar. Isso e mais os seus conselhos sempre nos sustentaram em nossa razão de viver.

Também fazíamos fotos com ele, aqui em casa. Uma vez tiramos uma fotografia de Frei Cosme com meu sobrinho Carlos Alberto Fernandes. O Frei vestia um terno, coisa rara, pois andava quase sempre de batina. Meu irmão olhou para ele e disse: “Frei, o senhor de terno está igualzinho ao Governador Ademar de Barros.” (Governador de São Paulo por duas vezes e com porte físico semelhante ao de Frei Cosme)

1966: Rara foto de Frei Cosme de terno, com Carlos Alberto, sobrinho de Virgínia

1966: Rara foto de Frei Cosme de terno, com Carlos Alberto, sobrinho de Virgínia

Conheci ainda muitos outros padres do tempo de Frei Cosme, na igreja do Valongo: Osmar, Crescêncio, Vital, Gil, Alfredo, Zacarias, Graciano, Emiliano, Mariano, Florentino, Tier, Celso, Armindo… Vários deles também nos visitavam e eram bem recebidos por nós…

Leia mais, na Seção: Graças Alcançadas

Virgínia Fernandes

Amiga n.º 9 de Frei Cosme

Share Button

Comentários

Sem comentários ainda.

Nome:
E-mail:
Comentário:
 Adicione seu comentário 

Comentários via Facebook


Arquivo
Busca