35 – José Modesto Leite

Versão para Impressão

José Modesto Leite

José Modesto Leite

  • José Modesto nasceu no Vale do Ribeira, na cidade de Miracatu/SP, em 1943.
  • Quando tinha seis anos, sua família mudou-se para São Vicente/SP.


 

SÃO VICENTE

  • A despeito da pouca idade, Modesto lembra bem das dificuldades enfrentadas por seus pais na nova cidade.
    Para amenizar um pouco essas agruras, os Leite contavam com dois ramos de parentes, igualmente de poucas posses, mas solidários, que já residiam na Baixada Santista: os Nascimento, com dois adolescentes no Semínário [Leia mais em: Odila, Amiga n.° 19] e os Laragnoit, com o filho, da mesma forma estudando com os franciscanos [Leia mais em: Veiga, Amigo n.° 16].
  • Em pouco tempo, esses familiares solícitos, formaram a ponte ideal para os Leite chegarem a Frei Cosme.
  • De seu lado, os pais de José Modesto, católicos fervorosos, já tinham quatro padres na família e seu grande sonho era a graça de um filho sacerdote.
  • Iniciava-se a segunda metade dos anos 1950 e Frei Cosme batia seus próprios recordes de arrebanhamento de seminaristas.
    A vez de José Modesto se aproximava.
    Dessa época, Modesto recorda pouco ter frequentado o Valongo. Nem mesmo chegou a ser coroinha. É que poucas vezes conseguia dinheiro suficiente para pagar o Bonde 1 que fazia o percurso São Vicente – Santos e vice-versa. Dos esparsos contatos com o frei amigo, comenta que as mais fortes impressões que lhe ficaram dele foram:

Sua seriedade, piedade e carisma.


 

SEMINÁRIOS

  • José Modesto, refere-se hoje, ao Frei Cosme daquela época, como:

Pescador de jovens para os Seminários.

  • Ele próprio foi fisgado em 1957.
  • A família continuava com suas crônicas dificuldades materiais, mas nada que impedisse a viagem de Modesto para Guaratinguetá.
    Como na maioria de outros casos semelhantes, o frei benfeitor já havia providenciado um enxoval novinho para uso no Seminário Frei Galvão. Faltava, ainda, a mala para acomodar aquele “montão” de roupas e calçados, mas também isso logo se resolveu. O franciscano, de pronto, lhe cedeu a maleta de couro, usada em suas próprias viagens.

1957: Seminário Frei Galvão de Guaratinguetá/SP – Turma aprovada para ingressar em Agudos/SP.
Modesto é o indicado pela seta.

 

  • Depois de um ano em Guaratinguetá, Modesto foi para o Seminário Santo Antônio, de Agudos/SP, em 1958, ali permanecendo até sair, em 1962.
  • O ex-seminarista, um pouco vacilante, mas sempre brincalhão, lembra da extrema vergonha que sentiu, quando após quase 7 anos foi devolver a velha mala de couro para o frei.
    Tudo ficou nisso, pois não houve qualquer gesto ou palavra constrangedora durante o encontro. A amizade e o carinho mútuo continuaram iguais.
  • Modesto casou com Elza em 1968 e foram morar em Osasco/SP. Tiveram quatro filhos, sendo que o caçula faleceu ainda criança.
  • Sobre a morte de Frei Cosme, José Modesto conta que só ficou sabendo alguns anos depois da ocorrência e completa:

Me lembro dele perfeitamente, um amigo, um irmão, um conselheiro. Pessoas como ele jamais poderão ser esquecidas.


 

ATUALIDADE

  • O casal Elza / Modesto participa ativamente da Igreja, em Osasco/SP, na Paróquia de São Domingos “O Pregador”.
  • Modesto assume, com orgulho, ser um católico de raiz. Tem paixão pela música, toca clarinete e sabe de cor dezenas de letras e músicas dos principais hinos sacros, tanto em português como em latim.

2016: Solo de clarinete no teatro do Seminário de Agudos.

 

2016: O casal almoçando com amigos no Encontro de Ex-Seminaristas em Agudos.
Modesto, de perfil à esquerda e Elza de perfil e óculos à direita.

 

2016: Alegria, na volta à 1.ª Ala em Agudos.

Share Button

Comentários
  1. German Aguirre Medeiros 27 de setembro de 2017 22:34 Responder

    Estimado Amigo José Modesto
    Certamente também estaremos por lá.
    E vamos solicitar ao Site que divulgue o Evento, principalmente entre os Amigos de Frei Cosme.

  2. José Modesto Leite 20 de fevereiro de 2016 11:14 Responder

    Olá , Germano

    Paz e bem

    Muito obrigado por suas palavras e considerações.
    Esses encontros mexem verdadeiramente conosco. Eu, particularmente, volto
    maravilhado. Encontrar os amigos daquela época, rezar, rir e viver 3 dias em harmonia com a alma e com a natureza mexem profundamente comigo.
    Qual quer hora nos veremos, se Deus quiser.
    Um grande abraço na Domitila.
    Modesto

  3. German Aguirre Medeiros 19 de fevereiro de 2016 23:49 Responder

    Meu querido Amigo e colega de turma, em Guaratinguetá e Agudos:
    Duas semanas atrás nos despedimos, com um abraço fraterno, ao final do Encontro de Agudos-2016, depois de um lapso de 55 anos afastados. Deu para sentir, concretamente, porque vc me dizia que eu não imaginava o bem que “esse bendito Encontro” lhe fazia. Realmente, o aprendizado dos valores do franciscanismo nos privilegiou. Obrigado por vc ter sido determinante em conduzir-me ao “bendito Encontro”.
    Aproveito também, para dar-lhe as boas-vindas à Confraria dos Amigos de Frei Cosme. Fico feliz, mais uma vez, por continuar como seu colega e amigo, nesta nova/velha turma.

Nome:
E-mail:
Comentário:
 Adicione seu comentário 

Comentários via Facebook


Arquivo
Busca