28 de fevereiro de 2014Histórias de Coroinha Um comentário
Versão para Impressão

O Frei e Seus Times de Futebol de Várzea

Julho de 1951: Várzea da Areia Branca, Santos/SP

Nesse exato mês eu joguei uma partida de futebol pelo São Paulo, talvez daí ser são-paulino, desde então. Deixa explicar melhor essa situação: Lembro que nessa época Frei Cosme conseguiu arrumar 4 jogos de camisas, sendo 2 do Vasco e outras 2 do São Paulo. Não sei se ele comprou, ganhou de alguém ou conseguiu em alguma entidade. Com isso fez 2 times: A e B de cada, totalizando 22 camisas do Vasco, mais 22 do São Paulo. No A jogavam os garotos grandes e no B os pequenos. Como eu era pequeno, 9 anos, joguei no B. Era tão ruim, na época, que devo ter cometido dois ou três pênaltis contra meu time. Não que fosse violento, eu era ruim mesmo. A bola vinha em minha direção dentro da área e eu colocava a mão.

Imaginem: cada encontro desses, tinha, pelo menos, 44 jogadores, 22 em cada campo, sem contar os reservas. Deviam ser mais de 50 garotos. Isso tudo, ali na Areia Branca, ainda meio despovoada naquele tempo, cheia de campos de futebol. Eventos como esse continuaram a ocorrer ao longo do tempo.

Era desta forma que o nosso grande amigo Frei Cosme fazia seu trabalho, arregimentando elementos para serem coroinhas, seminaristas ou, pelo menos simpatizantes da causa, para a comunhão ou apenas para frequentarem as missas.

Ainda o vejo com nitidez, no meio daquele rebuliço varzeano, garimpando a garotada, com a simpatia dele…

Antonio Carlos Fernandes Nunes (Toninho)

Antonio Carlos Fernandes Nunes (Toninho)

Amigo n.º 25 de Frei Cosme

Share Button

Comentários
Nome:
E-mail:
Comentário:
 Adicione seu comentário 

Comentários via Facebook


Arquivo
Busca